Home
    História
Geografia
Localização
Património
Caracterização
Economia
A Visitar
Roteiro
Agenda
Notícias
Outras Informações
 
Ruínas Romanas de Cardilium
Ruínas Romanas de Cardilium
[Quadro Histórico]
[
Destruição de Torres Novas em 1190]
[
Lendas e outras histórias]
    Separador
    Quadro Histórico

O concelho de Torres Novas data do princípio da nacionalidade, tendo a sua sede recebido foral em 1190, por D.Sancho I. Este foral foi confirmado mais tarde por outros reis portugueses. Além destes forais, o concelho regia-se também pelos documentos denominados "Foros de Torres Novas", reguladores do seu direito consuetudinário, documentos estes considerados de grande importância para o estudo do municipalismo no nosso país.

A vila, conquistada aos mouros por D. Afonso Henriques em 1148, fora mais tarde reconquistada pelo "miramolim de Marrocos". Até à posse definitiva pelos cristãos, tanto o castelo como a povoação foram sucessivamente sendo destruídos.

Em Torres Novas realizaram-se duas importantes CORTES: a de 1438, reunídas após a morte de D. Duarte, as de 1535, em que se assinou o contrato de casamento da Infanta D. Isabel com Carlos V.

D.Dinis doou a vila a sua mulher, a Rainha Santa Isabel e D. João II concedeu-a a D. João de Lencastre, filho de D. Jorge.

Em 1834, os liberais apoderaram-se da vila, depois de um violento com bate com os absolutistas.

Devido à sua posição geográfica - bacia hidrográfica do Rio Almonda e cruzamento de muito importantes vias de comunicação - Torres Novas teve um grande desenvolvimento industrial, tornando-se em pouco tempo um importante polo de atracção.

Sobre a antiguidade de Torres Novas apenas se poderá dizer que remonta à denominação romana, pois foram descobertas as ruínas de uma cidade romana, a "Vila Cardilium".

in DIAGNÓSTICO SÓCIO-CULTURAL DO DISTRITO DE SANTARÉM - ESTUDO 1, Santarém, 1985, pág. 476.

Separador

Destruição de Torres Novas em 1190

A coluna almóada ganhou primeiro Córdova.
Depositou aí as suas bagagens mais pesadas, fez as suas provisões e víveres e equipou-se de novo. Depois de ter passado alguns dias nesta cidade, dirigiu-se para o Vale do Tejo, atravessou o rio e encaminhou-se para a região de cereais próxima de Santarém; ali devastou ou incendiou todas as colheitas. Atingiu seguidamente um castelo forte de nome Torres (Turrus), situado sobre um cume elevado. Este castelo foi assaltado e os ocupantes pediram para o evacuar com as suas mulheres e os seus filhos deixando tudo na praça. Foi-lhes dada satisfação e os almóadas penetraram neste castelo forte onde encontraram muitos cavalos, armas e objectos mobiliários. depois de o ter devastado, dirigiram-se para a cedade de Tomar (Thumar), cidade bem defendida, de solo fértil, com vinhas, árvores de fruto e ricos terrenos de cultura. Esta cidade sofreu a mesma sorte de Torres: foi saqueada e incendiada.

in "Castelo de Torres Novas", ed. Serviços Culturais da Câmara Municipal de Torres Novas

     
    Separador

[HOME] [ECOS DO RIBATEJO] [HISTÓRIA] [GEOGRAFIA] [LOCALIZAÇÃO] [PATRIMÓNIO] [CARACERIZAÇÃO] [ECONOMIA] [A VISITAR] [ROTEIRO]
[
AGENDA] [NOTÍCIAS] [OUTRAS INFORMAÇÕES]
Visite também os sites de:
Museu Agrícola de Riachos
Rancho Folclórico "Os Camponeses" de Riachos
Contacte a CMTN
Contacte a CMTN

Concepção e realização